Home / Alergia Alimentar / Entendendo os Rótulos Parte 2 -Corante alimentar

Entendendo os Rótulos Parte 2 -Corante alimentar

Algumas pessoas me rotulam de exagerada quando eu digo que não como e não dou para meus filhos certos alimentos porque são cheios de corantes. Porque não dou gelatina industrializada, evito picolés, jamais refrigerantes entre outras coisas… Lógico que quando o filho em questão é o Lucas, as pessoas não criticam, mas dizem: ” ah tadinho é alérgico até as cores.”  De fato Alérgicos alimentares são mais suscetíveis as reações causadas por corantes, contudo engana-se quem acha que só eles estão em risco. Os corantes usados em alimentos e medicamentos trazem grandes riscos não só para alérgicos alimentares.  Abaixo está uma longa lista de corantes abusivamente usados no Brasil, mas que já são proibidos em muitos outros países.

Caramelo IV

corante-caramelo

Outros Nomes: 4-Methylimidazole – 4-MEI.

É produzido durante um processo de caramelização e aquecimento.
Uma grande concentração dessa substância no organismo pode levar ao surgimento de Cancros de pulmão, de esôfago e leucemia. Essa substância foi incluída pelo estado da Califórnia em uma lista de cancerígenos conhecidos depois de um estudo científico vincular o 4-MEI ao surgimento de câncer em ratos. O FDA, Os corantes caramelos conferem uma coloração de levemente amarelada até marrom bem escuro. Cada tipo de corante caramelo têm uma aplicação mais indicada. Os mais utilizados no Brasil são os corantes caramelos tipos III (em cervejas, molhos shoyu) e IV (em refrigerantes).

  • Caramelo I. Conhecido como caramelo simples. Para sua obtenção, podem ser usadas substâncias ácidas ou bases. Nos rótulos dos alimentos e bebidas pode ser descrito como INS 150a.
  • Caramelo II. Conhecido como caramelo sulfito cáustico. Para sua obtenção, são usados sulfitos, bem como substâncias ácidas ou bases. Nos rótulos dos alimentos e bebidas pode ser descrito como INS 150b.
  • Caramelo III. Conhecido como caramelo amônia. Para sua obtenção, são usados compostos amoniacais, bem como substâncias ácidas ou bases. Nos rótulos dos alimentos e bebidas pode ser descrito como INS 150c.
  • Caramelo IV. Conhecido como caramelo sulfito-amônia. Para sua obtenção, são usados sulfitos, compostos amoniacais, bem como substâncias ácidas ou bases. Nos rótulos, pode ser descrito como INS 150d.

Polêmica

A polêmica que levou às marcas de refrigerante Coca Cola e Pepsi anunciarem mudanças em suas fórmulas surgiu quando a entidade de defesa do consumidor dos Estados Unidos, a CSPI, divulgou que, em análises laboratoriais dos refrigerantes citados, foram encontrados altos níveis de 4-metilimidazol (4-MEI), uma substância supostamente cancerígena que se forma a partir da utilização de amônia ou sulfitos na produção do corante caramelo tipos III e IV. No entanto, os estudos científicos ainda não comprovaram a relação entre 4-MEI e câncer em humanos. Apenas um estudo do governo Americano avaliou os efeitos do 4-MEI em animais. Nele, foram aplicadas grandes quantidades de 4-MEI em ratos e ratazanas por um longo período de dois anos. Verificou-se que apenas os ratos tiveram aumento na incidência de tumores, e as ratazanas não.
Geralmente encontrado em:

  • refrigerantes de Cola, Guaraná, Tutti-Frutti e do tipo ‘Tubaína’
  • refrescos em pó
  • doces
  • cereais
  • energéticos
  • agrotóxicos.

 

Carmim de Cochonilha

cochonilha

Outros nomes: Vermelho 4 – C.I. 75470 – E120 – INS 120

Esse corante é feito a partir de um inseto chamado Cochonilha. É necessário cerca de setenta mil insetos para se conseguir cerca de meio quilo de corante.
Pode causar hiperatividade em crianças, eczema e dificuldades respiratórias. Banido na Alemanha, Áustria, França, Bélgica, Dinamarca, Suécia e Suíça.

Geralmente encontrado em:

  • cereais
  • balas
  • laticínios
  • recheios diversos
  • sobremesas
  • refrescos em pó
  • refrigerantes
  • geleias

Vermelho Amaranto

amaranto

Outros Nomes: Bordeaux – E123 – Vermelho 9 – Vermelho 27 – Azorubina S – C.I. 16185.

É um corante vermelho escuro a púrpura usado como corante de alimentos e cosméticos. Desde 1976 está banido nos Estados Unidos pela Food and Drug Administration (FDA) como uma substância suspeita de ser um cancerígeno. Deve ser evitado por sensíveis à aspirina, é proibido em diversos países.

Geralmente encontrado em:

  • cereais
  • balas
  • laticínios
  • geléias
  • sorvetes
  • recheios
  • xaropes
  • preparados líquidos

Vermelho Eritrosina

ponceau-4r

Outros nomes: tetraiodofluoresceína – C.I. 45430 – Vermelho Ácido 51 – E127 – Acid Violet 051 – Red 014 – Red 3 – iodoeosina – eritrosina BS – eritrosina N – ritrosina JN – pirosina B – eosina J – iodoeosina B – diantinja B – vermelho ácido 51 – eritrosina azulada.

É usado principalmente como corante para alimentos, além de seus usos em tintas de impressão, como corante biológico e na produção de produtos corantes da placa bacteriana em dentes.
Pode aumentar hormônio tireoidiano no sangue, sendo suspeito de causar câncer de tireoide em ratos. Banido nos EUA e na Noruega.

Geralmente encontrado em:

  • pós para gelatinas
  • laticínios
  • refrescos em pó
  • geléias

Vermelho ponceau 4R

vermelhoerythrosine-b-jpg_220x220

Outros nomes: E124.1 – Ponceau 4R – C.I. 16255 – Vermelho Cochonilha A – Vermelho Ácido C.I – 18,1 Escarlate Brilhante 3R – Escarlate Brilhante 4R – Púrpura SX.

É um corante sintético normalmente usado no Brasil como um corante alimentar.
Está relacionado a anemia e doenças renais, associado a falta de concentração e impulsividade e pode provocar hiperatividade em crianças quando associado ao benzoato de sódio. Deve ser evitado por sensíveis à aspirina e asmáticos. Já foi proibido nos EUA e na Finlândia.

Geralmente encontrado em:

  • frutas em caldas
  • balas
  • cereais
  • bebidas
  • laticínios
  • sobremesas

 

Azul ou Anil

azulanil

Outros nomes: Indigotina – Azul FD&C No. 2 – 2,2’ Bis – 2,3 diidro 3 oxoindolilideno.

Inicialmente era extraído de plantas, mas depois foi sintetizado. Tem ainda outras utilidades como contraste para testar a função renal, reagente para a detecção de nitrato e clorato, e no exame do leite.

Pode causar náuseas, vômitos, hipertensão e alergia como prurido e problemas respiratórios.

 

 

Geralmente encontrado em:

  • gomas de mascar
  • iogurtes
  • balas
  • sorvetes
  • doces
  • caramelos
  • bebidas

Amarelo tartrazina

corante-amarelo-crepusculo

Outros nomes: E102 – amarelo 5

Pigmento sintético que proporciona a cor amarelo-limão. É derivada do creosoto mineral, que é derivado da hulha ou carvão betuminoso, que é um tipo de carvão mineral. e seu uso mais freqüente se dá em alimentos, cosméticos e medicamentos. É muito utilizada em combinação com os corantes E133 (Azul brilhante FCF) ou E142 (Verde S) para produzir vários tons de verde.
O uso da tartrazina é banido na Noruega, e já foi banido na Áustria e Alemanha, mas o Conselho Diretivo da Comunidade Europeia revogou o seu banimento.
No Brasil, a tartrazina tem o seu uso restrito e regulado pela ANVISA, que estabelece normas para sua aplicação em medicamentos, os quais devem possuir mensagem alertando sobre possíveis reações alérgicas.
Está relaciona a asma, bronquite e urticária, Reações alérgicas a sensíveis à aspirinas e asmáticos. Pode causar insônia em crianças, afecção da flora intestinal, reações alérgicas aos sensíveis a aspirinas e asmáticos, porém os estudos sobre os efeitos alérgicos da tartrazina ainda não são conclusivos.

Geralmente encontrado em:

  • laticínios
  • licores
  • fermentados
  • produtos de cereais
  • iogurtes

Corante: Amarelo crepúsculo

tartazana

Outros nomes: INS110 – E110 – Amarelo alaranjado S – Amarelo 6 – C.I. 15985

É um corante sintético produzido a partir do petróleo, e um dos mais populares. Ele é responsável pela cor amarela ou laranja de várias bebidas e alimentos. é frequentemente usado em conjunção com E123, amaranto, para produzir uma coloração castanha tanto em chocolates quanto caramelos.
Pode provocar: Reações anafilactoides, angioedema, choque anafilático, vasculite. Reação cruzada com paracetamol, ácido acetilsalicílico, benzoato de sódio (conservante) e outros corantes azoicos como a tartrazina. Pode provocar hiperatividade em crianças quando associado ao benzoato de sódio.
Banido na Finlândia e Noruega.

Geralmente encontrado em:

  • refrigerantes de sabor laranja
  • marzipã
  • rocambole ou bolos
  • geleias
  • doces de frutas
  • creme de frutas
  • doces
  • refresco em pó
  • sopas
  • margarina
  • pó para sobremesas cremosas
  • gelatina em pó
  • bebidas energéticas
  • farinhas de rosca
  • salgadinhos amarelados, como os de queijo
  • macarrão instantâneo
  • misturas de molho de queijo e marinadas em pó
  • sorvetes
  • medicamentos (especialmente medicamentos infantis)
  • decorações de bolos e glacês
  • vários produtos com cores artificiais em amarelo, laranja ou vermelho

Fique atento aos rótulas, uma bala aqui, um biscoito ali, um suco lá, um medicamento acolá e nosso organismo fica saturado dessas substâncias malignas.

Bjs Ketrin

Veja Também

Pharma Lotus

Você conhece a Pharma Lotus? Uma das melhores farmácias de manipulação localizada em Campo Grande-RJ, Um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *